Canto do Rio: Uma Convivência Pós-Várzea

Canto do Rio: Uma Convivência Pós-Várzea – Documentário – 20 minutos – Goiânia/GO

Direção e Roteiro: Ricardo Edilberto
Lançamento: 2016
Status: Finalizado

Release

O reencontro de personagens de uma intensa história varzeana, 25 anos após a transformação do campo de várzea em praça.

Brasil, Goiás, Goiânia, Setor Crimeia Leste, Canto do Rio Meia Ponte, Praça Vicente Sanches de Almeida. Ontem, campo de futebol de várzea, sinônimo de contato, disputa, convivência e algazarra. Hoje, uma praça, sinônimo de desenvolvimento, dignidade, modernidade e ruídos automotivos. Vinte e cinco anos após essa metamorfose, um grupo de amigos encontra-se nesse mesmo palco onde outrora foram protagonistas de um espetáculo brasileiro por competência: o futebol-arte. O objetivo desse encontro é provocar a memória dos velhos tempos e discutir como ficou o relacionamento comunitário atual a partir dessa mudança.

Canto do Rio era o nome do primeiro time de futebol formado no setor Crimeia Leste, bairro cercado de rios e ribeirões onde o campeonato de futebol de várzea proporcionava a principal forma de convivência dos moradores da região até o fim dos anos 80. O reencontro dos jogadores do finado campeonato foi o bastante para que a conversa fluísse. Assis, João Ferrinho, Lica, Otoniel, Cláudio Boqueira e Carlos Pereira rememoraram histórias dos tempos em que o futebol chegava a reunir mais de duas mil pessoas em volta do campo. Era considerado por muitos o melhor campeonato de várzea do Estado de Goiás.

Ao longo da caminhada, outros personagens apareceram, o que era previsto e compreensível, já que os tempos da efervescente convivência se mantém viva na memória afetiva de muita gente. Naquele espaço não se praticava só o futebol. Era onde as pessoas se encontravam pra tomar uma cerveja, bater papo, paquerar… Muitas famílias e muitas amizades se formaram a partir daquele universo.


Botecos e bonecos

Terceiro tempo de todas as partidas de várzea, o boteco não poderia ficar de fora. Foi onde os jogadores – incentivados por uma gelada cervejinha – se sentiram à vontade para, digamos, discutir a relação, e soltar suas resenhas. Algumas histórias, inclusive, foram livremente reconstituídas a partir de técnicas de animação stop motion com bonecos de E.V.A.


Memórias do Diretor

Ricardo Edilberto é Jornalista de formação, publicitário de ganha-pão, produtor cultural e cineasta de coração. É também o criador e Coordenador Geral do Festival Juriti de Música e Poesia Encenada. Em 2003, dirigiu o curta “A Onça da Mão Torta” – melhor Direção de Arte no prêmio ABD-GO. Como roteirista, no ano de 2000 participou ainda do vídeo “Projeto Seiva Brasil” – Melhor Filme Goiano no III FICA (Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental.

Agora, está lançando o documentário “Canto do Rio: Uma Convivência Pós-Várzea”, filme que teve sua primeira versão de roteiro escrita há 10 anos. A temática do filme é também o resultado de suas memórias. Nascido e crescido no Criméia, Ricardo fez parte de uma geração que viu o campo acabar quando ainda sonhava em participar do campeonato com os mais velhos. Uma frustração, que com a realização do filme, acabou descobrindo que não era só dele.


O Criméia por trás das Câmeras

O vídeo foi realizado com recursos captados por meio do Fundo de Cultura e da Lei Goyases do Governo de Goiás e, além das personagens que conduzem a história, é composto por diversos profissionais que possuem algum tipo de relação afetiva com o Crimeia Leste.

Concepção e direção geral de Ricardo Edilberto, com a co-direção de João Gilberto. Myrna de Fátima na direção de arte, Iuri Moreno na produção executiva, Camila Aguiar na assistência de direção e edição, Igor Pereira na pesquisa, Gabriela Ferreira como Catering, Mylena Avien na maquiagem e Tiago Pereira como estagiário. Outros profissionais como cinegrafistas, iluminadores, animadores e fotógrafos foram selecionados pela Caolha Filmes para as mais diversas funções cinematográficas.


Equipe

Direção, Concepção e Roteiro: Ricardo Edilberto / Co-Direção: João Gilberto Produção Executiva: Iuri Moreno Direção de Arte: Myrna de Fátima Direção de Fotografia: João Gilberto Direção de Produção: Iuri Moreno Montagem e Finalização: Camila Aguiar Direção de Animação: Dustan Oeven Animação Stop Motion: Dustan Oeven e Myrna de Fátima Animação 2D e Efeitos Visuais: Myrna de Fátima Criação dos Personagens Ilustrados: Dayse Kênya e Leo Pereira Técnico de Som: Vasconcelos Neto Assistente de Som: João Pedro Cinegrafistas: André Montello, Isaac Brum e Pará Assistentes de Câmera: Baiano, Gilmar, Leozinho e Simão Eletricista: Antônio Logger: Camila Pereira Operador de Drone: Gabriel Sosnoski Catering: Maria Grabriela Assistentes de Produção: Camila Nunes, Danilo Pimentel e Osmar Filmagem Making Of: Ricardo Alvez e Kássia Oliveira Fotografia Making Of:  Lucas da Silva e Lorena Moraes Maquiagem: Mylena Avien Direção de Provocação/Entrevistas: Carlos Pereira Pesquisa: Igor Pereira Jovens do Crimeia: Tiago Araújo e Tchula Assistente da Comunidade: Goiás Trilha Sonora: Tambor Cantante Direção musical, mixagem e masterização: Dênio de Paula Música tema “Bola pro papo”: Ricardo Edilberto e Dênio de Paula Voz: Cristiane Perné Violões, backing vocal, assobio, samplers e efeitos: Dênio de Paula Berimbau: Júlio Pimentel Cuíca: Luiz Perillo Pandeiro: Henry Piano e Hammond: Fred Praxedes Baixo e cavaco: Nonato Mendes Assistência de produção musical: Daniel de Paula


Personagens Depoentes

Assis Cláudio Boqueira João Ferrim Lica Otoniel Carlos Pereira Geraldo (Pesquisa) Valdeir (Pesquisa) Florentina Ângelo (Participação especial) Jovânio Ângelo (Participação especial) Sérgio Reis (Participação especial) Zé Olímpio (Participação especial) Alessandro (Participação especial)


Patrocínio

Complem – Cooperativa mista dos produtores de leite de Morrinhos


Incentivo

Governo de Goiás

SEDUCE – Secretaria de Educação, Cultura e Esporte

Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás

Lei Goyases


Realização

Caolha Filmes


Gostou?
Compartilhe!